rpgvale
1599924783602205
Loading...

RPG Vale entrevista: Fernanda Nagaishi (@nerdmae)

Hey, senhoras e senhores! ... e goblins e anões e elfas e tieflings e zumbis e.... bom, voc...


Hey, senhoras e senhores!

... e goblins e anões e elfas e tieflings e zumbis e.... bom, vocês entenderam.

Se você não estava em outra galáxia nos últimos dias, já sabe que o dia das mães foi agora no comecinho de maio, certo? E, como não podia deixar de ser, escolhemos a dedo alguém para bater um papo sobre diversos assuntos do nosso mundo nerd!

A convidada da vez foi a Fernanda, diretamente do Nerd Mãe, que em um bate-bola bem rápido, trouxe pra gente um pouquinho da sua opinião sobre educação, feminismo e mundo geek. Olha só!

______


Fala um poquinho pra gente sobre quem é você. E quem são as pessoas por trás do Nerd Mãe? Apresente-se!

Nerd Mãe: Eu sou a Fernanda Nagaishi, metida a ser Nerd/Geek e Feminista, mas na verdade eu sou o Batman. E, claro, criadora e fundadora do Nerd Mãe. Já escrevi em outros blogs como o Obrigado Pelos Peixes, Nerds de Vestido e o Garotas Geeks. Mas a vontade empreendedora e a paixão por escrever me levou a ter meu próprio blog e assim o Nerd Mãe nasceu em 2012. 



A ideia original era um blog sobre maternidade e o mundo nerd/geek/pop. Mas como não sou mãe (revelação) o blog foi sofrendo transformações. Hoje falamos desse mundo louco de nerds e geeks, mas também com um pouco de Girl Power. Esse é o Nerd Mãe: um blog mãe de informação. Faço em conjunto com meu “companion” Daniel Nagaishi a.k.a. Jedi Wildstar, mas em breve iremos abrir espaço para colaboradores.

O que você acha de experiências lúdicas, que utilizam os jogos na educação? Tem alguma experiência com isso pra compartilhar com a gente?

NM: Acho fantástico, acredito que estimular a imaginação ajuda a se ter pessoas mais criativas. No mundo de hoje em que precisamos cada vez mais inovar em busca de soluções sejam para o entretenimento ou até mesmo pela nossa sobrevivência (olha esse lance de falta de água). E estimular uma criança a pensar a criar é algo maravilhoso, uma mente ativa funciona mil vezes melhor que uma parada. 

É como nossos músculos que precisam sempre ser exercitados. Não tive nenhuma experiência ainda, Mas tento praticar atividades com as minhas sobrinhas para esse lado de criar e imaginar. Fui uma criança com muita imaginação, costumava brincar com qualquer objeto desde peças de lego genéricas até tampa de garrafa rs.

Há cada vez mais uma maior discussão sobre a representação da mulher no cenário geek - do papel das personagens femininas em livros/filmes até a representação delas em jogos. No meio de todo esse debate, como você vê o papel da mulher no cenário geek?

NM: Acredito que estamos caminhando para uma maior representatividade feminina. Digo por personagens, livros, filmes, series e Hqs. Claro, existe muito a ser feito, posso até citar o caso da Marvel por não investir em produtos da Viúva Negra. Poxa, eu adoraria ter uma action figure ou qualquer produto com ela que tem muito Girl Power. 

Agora falando das minas geek/nerds, sofremos ainda muito preconceito por parte dos caras que acham que somos unicórnios. Fico cansada de ver cara reclamando que queria uma namorada que gostasse de jogar com ele. Mas quando uma mina se manifesta, a coisa se torna "burocrática", tendo a mesma que provar com um atestado gamer reconhecido no cartório de notas da associação de gamers de algum lugar. 

Meninos, parem com isso! Ninguém precisa tirar brevê de gamer pra provar que gosta de jogar. Ou até mesmo quando fala que curte algum personagem e vem uma enxurrada de perguntas de vestibular pra cima da garota. Puxão de orelha da Nerd Mãe aqui: parem! Tá feio e fica difícil defender. E para não falar que só to atacando os caras: tem muita mina que tem que parar de apontar o dedo pra amiguinha que ta tirando foto mordendo o controle. Gente, chama ela pra conversar e jogar e ensinar que não é muito saudável morder objetos.

A fantasia sempre foi um lugar livre para se criar histórias com temas que, na vida real, muitas vezes são delicados. Game of Thrones mostra estupro, O Senhor dos Anéis mostra escravidão, e praticamente qualquer outra história mostra traições, guerras e mortes. Na sua opinião, a fantasia é um lugar livre para criarmos qualquer tipo de história ou existem temas que não devem ser explorados?

Fantasia não é algo real, logo, acho que não temos limites para explorar temas. E uma coisa é você enaltecer algo, outra é você mostrar o fato como ocorre e colocar isso como algo errado e mostrar as consequências. Você pode retratar um assunto delicado como estupro, porém, você tem por obrigação dizer que esse ato foi um erro. Diferente da cultura do estupro que é simplesmente colocar isso como algo positivo. 

Sobre violência o que me preocupa é que quando ocorre algum atentado envolvendo jogadores de games ou até mesmo filmes começa a exploração da mídia de dizer que podemos ser influenciados por esses meios. Como se isso fosse a única fonte de informação de algo negativo. Acho mais perigoso e doloso a exploração de alguns meios de mostrar a tragédia alheia. 

Games e filmes são para entretenimento, e acredito que estamos livres para escolher aquilo que nos agrada jogar ou ver. É obvio que não se pode dar um jogo de luta sangrento para uma criança. Mas você pode mostrar que é legal no virtual mas no real não.
______

Então, o que acharam? Vocês concordam com a Fernanda? Conta pra gente a sua opinião!

É muito importante que nós - profissionais da área - estejamos dispostos a ouvir a opinião de todos sobre os problemas e acertos do mundo dos jogos. É preciso que mais criadores de jogos se disponham a mudar conceitos antigos e abrir as portas do mundo gamer para todos.

Como criador de ficção, não posso dizer que a solução é que menos jogos de um tipo "x" sejam feitos. A ficção esta aí pra isso: produzir conteúdo, mundos imaginários onde tudo é possível - seja uma realidade boa ou uma realidade pavorosa. Mas é importante também que os criadores de jogos (e revistas, hqs, filmes, etc) estejam dispostos a parar de produzir mais do mesmo e mudar a sua visão sobre o público que consome o seu produto.

O caminho é longo, e mudar as coisas não é fácil. Mas a gente consegue.

Vamos mudar essa realidade.

Cheers!

Tem alguém que você gostaria de ver em um bate-bola rápido por aqui? É só mandar a sua sugestão pra gente!

Nerd 3042875702662062021

Postar um comentário

Página inicial item

Entre pra Guilda

Mais lidos da semana

Receba nossos corvos

Curso Online