rpgvale
1599924783602205
Loading...

O Bárbaro e o Bardo, o mistério do ritual na floresta

Olha só roleplayerzada, a saga de Rhendal o Bárbaro que iniciamos aqui ganha uma continuação nes...

Contos-Heróicos_thumb_thumb
Olha só roleplayerzada, a saga de Rhendal o Bárbaro que iniciamos aqui ganha uma continuação neste post e dessa vez vocês vão descobrir como foi seu primeiro contato com um personagem épico do #RPGcast

Parte III - O Bárbaro e o Bardo

Rhendal passou dias e noites atormentado pela imaginação do que poderia ter acontecido na caverna com seus aliados. O sangue em suas mãos e a falta de memória poderiam indicar coisas terríveis. Ele decidiu não voltar para seu povo até buscar soluções e se embrenhou pela floresta de Blodewid que começava ali por perto e passou algumas semanas sobrevivendo aos insetos e animais que atacam pela noite.
Entre os sonhos, as sombras, gritos e um grande olho pulsando em seu coração surgiam a toda hora e o faziam acordar de madrugada. Foi numa dessas interrupções que vozes de misturavam com seus devaneios... pareciam vários homens, mas falando em coro uma só frase.
_ Arthnok, istupen Raah’ckra!
Eles se repetiam enquanto Rhendal lembrava das montanhas, do deus adormecido e das cavernas de TanohtRaah.  Resolveu se aproximar, furtivamente o que era fácil devido a escuridão.

Dois homens vestidos como magos, cheios de runas e pedras em suas roupas circulavam uma pedra que servia de altar. Nela um jovem, magro e visivelmente sem características guerreiras, encontrava-se amarrado e bêbado.  O que estava acontecendo ali era um sacrifício a palavras deviam ter ligação com um tipo de culto antigo a entidade caótica de Raah’ckra.
mystical_forest_by_ferdinandladera-d5bmtmh
Bárbaros podia ser considerados selvagens, mas não compactuavam com sacrifícios da própria espécie, apenas de animais. Qualquer entidade que aceitasse uma vida humana não seria uma boa entidade.  Provavelmente aquele homem foi ludibriado dentro de uma taberna e levado para a floresta, o que precisava fazer era saber o momento para chegar mais perto e atacar.
A frente dos magos haviam 5 cavaleiros, como protetores que seriam grandes empecilhos. Então Rhendal decidiu subir nas árvores, um ataque por cima pode ser bem efetivo em casos como este. Enquanto escalava o ritual dava continuidade e entre palavras e cânticos alguns objetos se erguiam com luzes. Uma pérola, amarela... exatamente como aquela que estava no fundo do lago, na caverna.
A luz brilhou intensamente, as vozes desapareceram e uma energia envolveu os magos como uma aura. Quase no topo das árvores o bárbaro sentiu seus ouvidos pararem de funcionar e sua visão fechar.  Apenas escuridão ocupava sua mente e um som... tum, tum. Parecia um tambor que começava de leve e ia acelerando as batidas.
a_forest_by_blinck-d4yepov
Uma gota de suor escorreu pela sua cabeça e junto com ela as mãos se soltaram dos galhos. Enquanto a respiração ofegante crescia um sentimento de raiva explodia dentro de Rhendal.  Na queda, mesmo sem total controle seu corpo se ajeitou para cair entre os 5 cavaleiros como um martelo de guerra com um grito.
_ Grande, Colisão Rheeeendaaa!
Seu machado dançou entre as vísceras dos seus oponentes, que jorravam sangue e dor. Foi quando o jovem se deu conta que estava inundado em um tipo de ira bárbara que fazia com que sua força se multiplicasse e seu corpo respondesse menos aos golpes que recebiam. Socos e golpes de espadas não o faziam cair, apenas aumentavam sua fúria.  Inusitadamente os magos estavam calmos e ao se deparar com Rhendal apenas um sorriso irônico restou em suas cabeças decepadas, mas não antes das últimas palavras: Chegou a hora.

Algumas horas depois, esgotado e com pouca consciência, Rhendal se deu conta que deveria procurar a pérola, mas lembrou que no meio de todo esse ritual, de alguma forma ela se transformou em energia que foi assimilada pelo corpo do jovem que estava na pedra.
De alguma forma ele precisaria entender tudo o que havia acontecido, na caverna e agora com esta fúria. Esses eventos pareciam ter ligação com as pérolas amarela e o espírito de Raah’ckra. E agora, inevitavelmente também o ligam com aquele que acabava de salvar.
_ Olá, está bem? Diga alguma coisa... como se chama? - Perguntou quando viu o rapaz despertar.
_ Sou Darkwolf, o bardo!
(continua…)
Rpg 8083234900419245374
Página inicial item

Entre pra Guilda

Mais lidos da semana

Receba nossos corvos

Curso Online