Americanos não são donos do Warcraft #DnC 34

decisivo-e-crítico_ano2_thumb

Passar o final de semana dentro de um mmorpg é fabuloso (literalmente), mas certas vezes encontramos algumas coisas bizarras… como a que deu origem a este post. Um jogador de WOW indignado com a falta de educação dos “outros” brasileiros, pois eles entram em servidores americanos e não conversam na língua nativa (inglês)

Parece algo normal, mas o discurso do cara era xiita level 99 com bônus em difamação nacional. Não se contentava na discussão com o fato dos outros jogadores tupiniquins defender o uso da nossa língua dentro do servidor de masmorras.

Pra quem não sabe, existe hoje um servidor dedicado ao jogo em português brasileiro, mas ainda há inúmeros jogadores que não migraram para lá – como eu – , dentro dele apenas outros jogadores da mesma região se encontram, mas quando você entra em uma masmorra ou raid encontra gente do mundo todo, já que só há um servidor mundial para essa parte do Wow.

Frequentemente encontramos grupos feitos por maioria americana, mas isso também inverte várias vezes e, a comunicação dos membros fica complexa.

Há muitos que não falam outra língua, mas não fazem por mal – mesmo assim ainda são alvos de ataques xenofóbicos de um ou outro americano sem noção “culpando nossa gente por não ter estudo os suficiente a ponto de não falar a língua deles.”

burning-crusade-ss800-large

Agora dizer que devemos ter etiqueta ao entrar na casa (ou server) dos outros é um tremendo absurdo. Se é um único local para o mundo todo então ele não é de ninguém… é mundial ou cosmopolita. Eu pago o mesmo tanto que o brother canadense ou africano para entrar na masmorra e descer pancada nos monstros, por isso não me sinto ocupando lugar alheio.

Brasileiros devem parar de achar que os mmorpgs são de americanos… no fórum da Blizzard vários guerreiros destruíram o cara em questão com esses argumentos e ele insistiu em defender sua tese que temos que ser mais educados.  Eu nunca encontrei problemas com isso, jogo na América Latina, arranho bem arranhado um portunhol e quando vejo que tem gringo na fita eu solto algumas palavras em inglês, mas não porque eu respeito eles como superiores e sim porque é a forma mais rápida de comunicar e ir ao objetivo do game.

Em Azeroth a gente defende ou a aliança ou a horda e não deve existir distinções geográficas do planeta Terra dentro dos seus mapas, a diversão é a que vale então se encontrar um doido com papo fascista deixa o cara de lado e vai ganhar algum XP por aí. A grande maioria dos players estão fazendo isso, curtindo demais o jogo, adicionei vários chars de americanos, Argentinos e gente do mapa todo e não vou parar de jogar até todos os humanos caírem… PELA HORDA!!! rs

Share on Google Plus

About Ale Santos

Storyteller, escritor de SCIFI,  Dark Fantasy e Designer de Narrativas para Board Games.  Um dos autores da Storytellers Brand'nFiction.  Editor do premiado blog RPG Vale, conhecido como @O_RPGista 
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 disqus:

Postar um comentário