rpgvale
1599924783602205
Loading...

Canções da Meia-Noite #34 - Chama Extinta - Parte 3

Olá aventureiros,dando hoje continuação a saga do poderoso deus-dragão do fogo que esta chegando a seus momentos finais!Após encontrar o...


Olá aventureiros,dando hoje continuação a saga do poderoso deus-dragão do fogo que esta chegando a seus momentos finais!Após encontrar o anticristo e enfrentar as forças do inimigo Pyros finalmente encontra Histell e sua batalha tem inicio ,mas novas figuras aparecem durante o combate traçando um novo destino para o tão esperado encontro dos lordes das chamas e agora a disputa final pelo título de mestre supremo do fogo se inicia.

“Com um sorriso sádico, os irmãos Gratt e Histell observam a batalha entre o Senhor Absoluto do Fogo, inimigo há séculos da diarquia fraterna que rege Elsajiq- Rupiaz, contra o lendário Messias do Kag’rinay Yakdo, criatura que incorpora em sua carne e alma os segredos do elemento Fogo presente em todos os mundos. Fogo contra fogo, um conquistador contra um messias, fúria contra disciplina. O jovem messias começa a levitar lentamente, até flutuar sobre a altura das cabeças de Gratt e Histell, para explodir como um cometa em direção a Pyros. Ambos se chocam com violência incrível, liberando uma onda de choque que atinge todos os partícipes da batalha, em ambos os exércitos, fazendo com que todos caiam ao chão. Ambos movendo-se rapidamente, atacando e defendendo cada golpe do oponente, o deus-dragão e o messias empregam ataques poderosos que jorram em toda a área, aniquilando aliados e inimigos. Pyros expele da boca um jato cônico de fogo negro com algumas dezenas de metros de diâmetro máximo, encobrindo facilmente todo o corpo do messias com as chamas negras mortais. O jato flamejante apenas cessa quando o dragão-demônio vê a montanha posicionada atrás do messias foi desintegrada. Com o dissipar da fumaça de tal ataque colossal, Pyros vê a silhueta intocada do inimigo, e voa em sua direção sem hesitar. O Messias adquire a forma de um pássaro de fogo e voa na direção do deus-dragão, pretendendo chocar-se diretamente com o corpo do oponente. 

Quando a fênix toca a ponta da lâmina de Frgrur, o dragão-demônio é empurrado por dezenas de metros enquanto ainda resiste às labaredas que explodem do Messias. Pyros então emite seu urro enlouquecedor na intenção de pelo menos fazer o inimigo recuar um pouco, mas tal vínculo psíquico projeta na mente do Senhor Absoluto do Fogo imagens do próprio Plano Elemental do Fogo, abalando a resistência da sanidade de Pyros. Com grande concentração e determinação, Pyros vence a bomba psíquica do inimigo e inicia uma grande ventania com farpas de pontudas pedras incandescentes, um de seus poderes mais temidos pela área de alcance. Uma verdadeira chuva de lâminas de rocha flamejante se espalha para todos os lados, atingindo tanto aliados como o exército inimigo, destruindo seus corpos com grande rapidez. A força dos ventos desequilibra o pássaro de fogo, que volta à sua forma demoníaca. Com movimentos das garras, Pyros começa a guiar aglomerados de lâminas, levando-as todos em direção ao oponente. Um turbilhão cilíndrico de ventos quentes e rochas flamejantes afiadas é lançado contra o Messias, que estica os braços para projetar uma barreira mística e proteger-se do ataque frontal. Em frações de segundos, o Messias percebe então que, enquanto se defende do devastador ataque frontal, Pyros está posicionado atrás dele, pronto para utilizar sua Frgrur. Após centenas de ataques seqüenciais com sua espada mágica, garras, presas, asas afiadas e sua cauda espinhuda, o turbilhão de vento e rochas afiadas em chamas termina e o Messias finalmente tem a chance de se defender dos ataques físicos do oponente. Muito surpreso, o Messias usa sua telecinésia para afastar o deus-dragão de onde está, e o olha com um olhar satisfeito. 

Quando chega próximo o suficiente, Pyros percebe que o messias se desfez de sua postura de combate e parece aberto a conversar.- Dragão das Chamas que Calcinam a Carne – o messias começa a falar com Pyros –, você nasceu das próprias energias da Queima Infinita, uma força misteriosa pela qual você se dedica com tanto fervor para compreender. Este meu invólucro, que é carne e também espírito, foi criado pela Queima Infinita com o propósito de levar os ensinamentos da Queima Infinita ao merecedor deste mundo. Considerei Gratt e Histell como merecedores, entretanto eles ainda não compreendem o verdadeiro poder do Kag’rinay Yakdo. - Mas ambos possuem agora a Queima Infinita. – Pyros responde, confuso pela conversa que o Messias iniciara. - Ensinei a ambos, mas Gratt nunca compreendeu a Queima Infinita como Histell. Os antigos guerreiros do fogo de Gratt condecorados Warlocks, foram aprimorados por Histell com meu auxílio. Chegou a hora de ver a Queima Infinita ser manifestada por um verdadeiro prodígio nas artes da chama, e este ser é você. Eu sinto que é você. Pesando rapidamente as palavras do messias, Pyros percebe que não há mais razão para aquela batalha ocorrendo na superfície de Infernun. Em segundos, o deus- dragão e o Messias voam como meteoros flamejantes para o centro do império de Pyros, sob um alto sibilar que ordena o recuo dos exércitos do Senhor Absoluto do Fogo. Histell e Gratt, atônitos, observam Pyros e o Messias partirem sem uma única consideração ou manifestação. Simplesmente os ignoraram e assim terminaram a batalha. - Pyros – o messias começa a falar quando chegam à sede do poder político do império de Pyros –, saiba agora que os ensinamentos são difíceis e demandam séculos ou talvez até milênios. A Queima Infinita exige um corpo são e independente, de modo que nenhuma criatura com fé ou sob influência espiritual de outra entidade pode manifestar este poder. Apenas quando os ensinamentos forem aprendidos e sua alma estiver livre de qualquer influência espiritual, despertarei as portas para o fluxo da Queima Infinita em seu corpo. - Messias, enquanto me ensina os mistérios da Queima Infinita, você terá uma habitação à sua altura, no centro de meu vasto império. – Pyros aponta para um vulcão que expele magma, rochas e fumaça ininterruptamente – Conheça Sava Senria’Lur, as Chamas da Dor do Mundo, minha fortaleza mais protegida e seu palácio a partir de agora. - Pyros, devo lembrá-lo que influências externas sobre sua alma atrasarão o desenvolvimento da Queima Infinita, fazendo com que sua evolução demore séculos a mais do que é esperado. Não me chame mais de Messias. Sou o Olhar da Imolação, sou Kardatnell.” Kriene’Lavi, o Senhor do Sangue Derramado, manifesta-se na frente de Pyros como um grande gárgula vermelho com uma linda armadura de metal avermelhado. Seu coração bate com uma altura quase ensurdecedora aos raros dalethianos que ousaram continuar próximos enquanto a batalha entre Histell e Pyros ocorria. Com sua gigantesca espada, o tenebrita aponta para Pyros, exigindo que o deus-dragão se ajoelhe à sua frente. O Senhor das Chamas que Calcinam a Carne se recusa, embora tenha sentido uma vontade quase irresistível de fazê-lo, reflexo da corrupção da Espada Furiosa de Mundos Passados sobre sua alma. - Você não cumpriu. – o tenebrita solta um brado de ira incomensurável, ensurdecendo imediatamente os poucos dalethianos que não fugiram com Pazuzu após perceberem a manifestação do Senhor do Sangue Derramado. – Minha mensagem foi simples, e você não conseguiu cumpri-la.

- Campeão das Trevas, não desejo mais sua energia e sua influência. A energia da guerra insana não vence meu nêmesis, por isso não preciso mais desta semente corruptora que pôs em mim dezenas de milênios atrás. Não sou mais seu agente. - Não há poder em sua alma que vença a cólera de Kriene’Lavi. Resistir é inútil, prova de que o Senhor Absoluto do Fogo servirá melhor a Kriene’Lavi sem esta consciência inconveniente. - Sim, e este foi o motivo pelo qual absorvo as almas de meus inimigos. Dentro de mim reside uma alma líder, que comanda legiões de almas ou farrapos cármicos sob minha vontade. Prepare-se para sair de minha existência, odioso Campeão das Trevas! – Pyros concentra-se e desperta toda a sua energia espiritual composta pelas almas de seus inimigos mortos em dezenas de milhares de anos. Internamente, Pyros luta com suas almas escravas contra a centelha tenebrita que está alojada em seu âmago. Quase como uma brisa que tenta mover uma montanha, a alma de Pyros sozinha nada pode contra o imenso poder do tenebrita Kriene’Lavi. Porém, milhões de almas juntas para um único propósito formam a tempestade que derruba montanhas e forma planícies. O tenebrita percebe que sua semente está ameaçada, que tantas almas vivendo num paraíso compacto dentro do deus-dragão nunca foram usadas ao mesmo tempo para uma única missão como estava ocorrendo. Minutos depois, a faísca de energia corrompida era desinfetada e Pyros finalmente perde a influência de Kriene’Lavi. Sem pensar duas vezes, Pyros teleporta-se para seu plano natal, com Balor. Envolvido por uma bolha de energia flamejante extremamente poderosa, Balor vislumbra admirado a arquitetura de Sava Senria’Lur, uma das Sete Fortalezas de Infernun. Explosões de magma são redirecionadas para alimentarem a energia da fortaleza, além de formarem a redoma de proteção que envolve a cidade contra dragões e outros demônios de fogo. As habitações são parte da própria estrutura rochosa do vulcão que abriga a fortaleza, como pequenas cavernas espalhadas pelas gigantescas bordas internas do vulcão. Ao fundo do vulcão, o núcleo de Infernun pode ser visto pulsando quase como um coração, agindo como um oráculo do Plano Elemental do Fogo para seu emissário direto, o guardião Kardatnell. Como faz diariamente, Kardatnell é visto por Pyros no templo erguido muito próximo ao núcleo central, comunicando-se com os espíritos do fogo. Imediatamente, Kardatnell percebe a presença de Pyros e Balor, interrompendo suas orações. - Kardatnell, estou purificado! - Pyros inicia a conversa. - Tenho todos os conhecimentos da Queima Infinita, e agora posso ter este poder  finalmente desperto em minha alma!- Senhor Absoluto do Fogo - responde calmamente Kardatnell -, devo antes analisar sua alma, minuciosamente, para que ela não seja desintegrada por conflitos entre a corrupção e a Queima Infinita. Além disso, precisamos verificar os ferimentos de seu sumo-sacerdote, para que as energias corrompidas deste plano não penetrem em seus ferimentos e o destruam junto com a alma.- Não há tempo! Sei onde Histell se encontra na Terra, esta é a chance que perdi há tantos milênios, desde que te conheci apoiando os irmãos diarcas! A própria pressa de Pyros agita o núcleo central, causando uma freqüência muito maior de explosões e esguichos de lava pela fortaleza. Kardatnell toca o ombro do deus-dragão, buscando acalmá- lo. Pyros enfim decide aguardar o tempo que Kardatnell definir. Enquanto observa Balor sendo tratado por Kardatnell e outros infernitas com poderes curativos, o dragão-demônio lembra-se de eventos de sua vida que o levaram para este momento: as grandes conquistas de Pyros contra Fomorians e Valarauka, a eterna rivalidade contra Gratt e Histell, a aliança com Kardatnell, a vergonhosa derrota para Kriene’Lavi e pacto com o tenebrita, a noite com Urri, a vitória contra os exércitos Ghouls de Berbalahas, e agora a batalha decisiva contra Histell, portando a suprema Queima Infinita. Grandes momentos fizeram parte de sua existência, e apenas esta vitória contra seu nêmesis será suficiente para satisfazer o Senhor Absoluto do Fogo. Depois de tal vitória, nada mais importará. Com a rápida cura de Balor, Kardatnell volta-se para Pyros e o olha de cima abaixo com olhos repletos de energia nuclear, examinando cada centímetro do infernita em busca de resquícios de poder mágico tenebrita. Ao notar que as almas que Pyros destruiu enfrentando a influência de Kriene'Lavi levaram embora a semente tenebrita, o Olhar da Imolação pouca suas mãos sobre o peito dracônico de Pyros, e então se inicia a invocação do portal ao Plano Elemental do Fogo, que ficará situado dentro do próprio coração do deus-dragão. Cada batida do coração do mestre das Chamas que Calcinam a Carne torna-se uma espécie de ignição, criando faíscas internas para a energia combustível que Kardatnell gera no corpo de Pyros. Minutos depois, uma das batidas finalmente inicia a combustão massiva de toda a energia que se espalhara no corpo do dragão- demônio. A Queima Infinita foi iniciada. - Pyros, Senhor Absoluto do Fogo, a Queima Infinita repousa em seu âmago. Cada vez que tentar usar este poder cósmico, a integridade de seu corpo será testada, e qualquer sinal de impureza será consumido imediatamente pelo Kag’rinay Yakdo, podendo remover pequenos pedaços de pele, ou poderá consumir seu corpo inteiro. Histell sofre esta deterioração e busca aliviar sua natureza demoníaca vivendo entre os humanos, mas esta medida é apenas para atrasar o inevitável, que um dia invariavelmente reduzirá seu corpo a cinzas. Concentre-se e mantenha- se fora de influências externas, e não sofrerá tal destino! - Sim... - Pyros olha para dentro de si e sente o poderoso fogo que arde em suas vísceras, vislumbrando sensações sobre o calor que nunca teve, em todos os milênios de sua existência. - Posso sentir o calor de todos os habitantes de Muspellsheim, posso ver uma ilha de fogo flutuando no Plano Elemental do Fogo, posso sentir o fluxo de calor que emana de crianças humanas na Terra, posso ouvir o crepitar de chamas místicas em Katmaran! Histell sofrerá o poder máximo das chamas! Sem mais nenhuma palavra, Pyros teleporta-se para fora do plano de Infernun, deixando Balor em repouso no templo de Kardatnell.

Histell se assusta com a aparição repentina de Pyros à sua frente, num dos templos mais secretos dos Magos Vermelhos. O deus-dragão enrijece seu corpo, em uma força mística tão alta que todo o ar da câmara onde Histell se recuperava é expelido para longe de Pyros, gerando pressão nas paredes forte o suficiente para rachá-las e pressionar Histell contra a parede à frente do Senhor Absoluto do Fogo. - A Queima Infinita é um poder tentador, não? - Pyros continua intensificando a força do ar quente contra o corpo de Histell na parede. - Chegou o momento de eliminar definitivamente o sobrevivente dos diarcas de Elsajiq- Rupiaz, e assumir como mestre máximo de todos os Magos do Fogo da Orbe! - quando termina a frase, a pressão do ar se reverte de modo tão explosivo e instantâneo que lança Histell através de alguns andares acima do templo e vários metros de rocha e areia. Lançado sobre o Deserto de Gobi, Histell mal tem tempo para manifestar o Fogo Inclemente quando Pyros surge abaixo dele em uma coluna de areia e rochas flamejantes. Histell começa a concentrar fogo dentro de sua boca, quando percebe que Pyros já está à sua frente, levitando sem o uso das asas e com a garra direita tapando a boca de Histell. - Você e seu fraco irmão nunca compreenderam a Queima Infinita, e a ensinou pobremente ao que vocês erronaeamente chamaram de Warlocks. Eu sou o senhor dos Warlocks! A fúria da guerra e os olhos sedentes por sangue são o melhor combustível para os poderes do fogo e da destruição! Veja o quão fracos seus Warlocks eram, e o quão poderosos são os meus Warlocks! A garra direita de Pyros torna- se rocha magmática, ferindo o rosto de Histell enquanto o mestre dos Magos Vermelhos tenta se desvencilhar da garra. Ao se soltar, Histell apenas vê a serpente de chamas que jorrou da garra direita diretamente em sua face, bloqueando sua visão e o ferindo ainda mais. Com a Frgrur manifestada e com a lâmina envolta em plasma superaquecido, Pyros inicia o combate armado contra o Fogo Inclemente de Histell. Ambos possuem grande velocidade, mas Histell tem mais dificuldades enquanto busca atingir o inimigo certo em meio a dezenas de cópias ilusórias. Histell projeta contra o oponente um turbilhão de rochas afiadas incandescentes, girando todas em alta velocidade em volta de um concentrado feixe de fogo nuclear. Tal ataque atinge Pyros em posição defensiva, tocando apenas a lâmina de plasma da Frgrur, mas projetando o deus-dragão para dezenas de metros mais longe. Pyros percebe todas as emissões de calor deste plano e de todos os outros, notandofacilmente estágios de raiva ou o uso dos poderes de Histell. Ele também percebe os Magos Vermelhos saindo do templo secreto escondido sob as areias mongóis, prontos para defender seu mestre supremo. Vagamente, sente emissões de calor chegando dos céus, mas ainda muito longe e em alta velocidade. - Você verá que o poder da disciplina unido à capacidade destrutiva das chamas é a sabedoria suprema do Fogo! - brada Histell, esperando por um ataque em massa dos Magos Vermelhos contra um Pyros muito mais poderoso, diferente do infernita que enfrentara poucas horas antes. Todos os Magos Vermelhos começam a projetar jatos, cones, tentáculos, esferas, turbilhões e chuvas de fogo na direção de Pyros, arrancando um sádico sorriso de Histell e um olhar de desprezo do deus-dragão. Quando todos os ataques de fogo se aproximavam do Senhor Absoluto do Fogo, ou eram imediatamente absorvidos pelo corpo do dragão-demônio, ou refletidos diretamente contra Histell, que era obrigado a se defender dos Magos de sua própria ordem mística. Assustado, Histell ordena que seus Magos cessem os ataques. Iniciando pelos olhos, Histell começa a transformar seu corpo demoníaco em uma forma humanóide gigante formada inteiramente por energia superaquecida, da mesma forma como fizera no último combate contra seu nêmesis. Porém, Pyros reage como se já estivesse prevendo tal manifestação, e ele também assume uma forma composta totalmente por energia superaquecida, mas ainda com uma forma dracônica. Sem asas, com três cabeças, quatro membros superiores e uma grossa cauda no lugar dos membros inferiores, Pyros voa em velocidade supersônica de encontro a Histell, levando-o a grandes altitudes sobre o Deserto de Gobi. Enquanto ambos trocam golpes físicos e sobem acima das nuvens, Pyros sente as emissões de calor passando abaixo deles sobre onde os Magos Vermelhos estão. Grandes clarões de calor são sentidos pelo deus-dragão. Histell começa a tentar transcender a energia plásmica em seu corpo e busca penetrar no corpo de Pyros como um espírito do fogo. Facilmente, o Senhor Absoluto do Fogo segura o braço de Histell que busca penetrar em seu corpo, afastando-o de seu corpo. Como num movimento de inspiração para encher os pulmões com ar, Pyros começa a absorver a energia  plasmática de Histell, aumentando ainda mais seu tamanho e reduzindo o nêmesis à sua forma original, muito enfraquecido. Pyros ilumina a estratosfera onde estão como uma pequena estrela, enquanto Histell, semiconsciente, começa a cair das alturas, sem forças para manifestar. Pequenos focos de fogo começam a estourar sobre o corpo de Histell, eliminando tais partes - efeito da Queima Infinita tentando eliminar as impurezas dos ferimentos que Pyros causara. De sua posição, Pyros desce como uma estrela cadente sobre Histell, tentando incinerar o corpo do inimigo enquanto ambos caem em altíssima velocidade. Durante a queda, Pyros pode ver o que ocorre nas emissões de calor sobre os desertos mongóis: caças militares combatendo os Magos Vermelhos. Mísseis e minas de alto impacto são lançados contra os guerreiros arcanos, que respondem com grandes destruições pirotécnicas sobre os céus. Histell apenas se concentra em manter seu corpo vivo, resistindo com todas as forças à manifestação da Queima Infinita do mestre das Chamas que Calcinam a Carne. No caminho da queda, Pyros apenas enxerga um símbolo semelhante a uma asa negra saindo de um ouroboros de bronze escurecido. O símbolo estava estampado no alto de um caça militar, que é então aniquilado e explodido pelos infernitas que atravessam o avião, em direção às areias. Chegando ao chão, o impacto gera uma onda de choque que cria uma tempestade de areia muito intensa, que se espande por centenas de quilômetros à volta, sem atingir o ponto central da queda, agora uma cratera em meio à areia, com centenas de metros de abertura e profundidade. Ao longe, Pyros nota a presença do Anticristo e sua guardiã egípcia a seu lado, observando os combates tanto de Pyros contra Histell, como dos Magos Vermelhos contra os caças militares. Pyros vê os cadáveres de muitos Magos Vermelhos e poucos aviões abatidos, ainda restando um número enorme nos céus, formando um mosaico de metal negro intercalado ao azul vivo dos céus sobre o deserto. Histell ainda não consegue se mover e continua cada vez mais ferido, com a Queima Infinita ainda se alimentando de seu corpo. O deus-dragão aproxima-se vitorioso em direção ao inimigo, preparado para se defender, embora sinta que também esteja muito enfraquecido. Os olhos dos rivais se encontram: em um, a expressão do derrotado; em outro, a determinação de chegar até o fim. A Frgrur é erguida ao alto, e desce em linha perfeita sobre o tórax do irmão de Gratt. A Queima Infinita abandona o corpo de Histell com extrema violência, reduzindo todo o corpo do infernita a cinzas e chamas. Enfim, Histell está morto. Enfim, Pyros é o mestre máximo dos Magos do Fogo, Warlocks e Magos Vermelhos.
Contos 6443599131221008253
Página inicial item

Entre pra Guilda

Mais lidos da semana

Receba nossos corvos