rpgvale
1599924783602205
Loading...

Canções da Meia-Noite#22 - O Segundo Ataque da Aliança Negra

Retomando a mais uma Canções da Meio-Noite,hoje veremos a continuação da saga do pequeno Tulon escrita por Douglas Kaneda ( @douglaskaneda ...


Retomando a mais uma Canções da Meio-Noite,hoje veremos a continuação da saga do pequeno Tulon escrita por Douglas Kaneda (@douglaskaneda) ,que agora sonha em ser um herói ,enquanto isso as forças da Aliança Negra avançam ,será que ele enfrentara um dos maiores males que Arton já possuiu?Confiram a seguir.


O Segundo Ataque da Aliança Negra 
Tulon após contar tudo para o Sr. Mulies o gentil Halfling, vai para sua casa e conta o que aconteceu para seus pais, eles escutam atentamente toda a historia e no final fica em pé em cima de uma cadeira e finge estar com um arco na Mao mirando para o nada e diz: - Eu vou ser um ARQUEIRO e ajudar a proteger as pessoas desta cidade! O Sr.Uthorin Kolamir vendo seu filho tão empolgado vê uma oportunidade de Tulon ajudar na fazenda e não tirar o sonho do filho: - Meu filho, mas com estes bracinhos você não vai conseguir nem armar o arco, tem que trabalhar muito aqui na fazenda para ter forca para disparar um arco. Tulon olha para seu pai e vê ali uma oportunidade de seguir com seu sonho e saltando da cadeira de onde estava em pé olha para seu pai bem serio e diz: - Pai deixe eu te ajudar com a fazenda? Prometo acordar cedo faça chuva ou faça sol para te ajudar?

O pai de Tulon já tem sua resposta em mente, mas finge estar pensando olha fixo para o filho, que também o encara, então: - Tudo bem, mas você sabe, tem que acordo cedo, faça chuva ou faça sol. Tulon afirma com a cabeça dizendo que entendeu. Da um beijo em seu pai e sua mãe e então vai para a cama dormir, pois sabe que amanha cedo estará de pé.

Kelastus Estayn 12 anos de idade cabelos negros ate o ombro e olhos também negros, mais magro e mais baixo que Tulon, filho de Inthus Estayn e Senra Estayn, família de classe media de Khalifor o senhor Inthus ganha dinheiro sendo Marceneiro e também fazendo arcos e flechas, sua mãe Senhora Senra cuida da casa e ajuda seu marido. Kelastus ao chegar em casa contou o que viu nas muralhas seus pais ficaram preocupados e felizes por ele estar bem.

Kelastus como de costume vai até a casa de seu amigo após o desjejum chegando lá encontra Tulon ajudando seu pai na fazenda e se surpreende. – Tulon você ajudando na fazenda?

Este então toma fôlego e diz: - Sim. Meu pai disse que se eu ajudar ele na fazenda posso ficar forte e então entrar para a guarda da cidade. No final da frase este então sorri para seu amigo, Kelastus então retribui o sorriso e diz: - Mas para entrar na guarda não basta só ser forte, tem que saber usar um arco e saber ler e escrever. Tulon nunca teve um arco e também não sabe ler nem escrever então diz: - Ler e escrever é fácil você me ajuda agora o arco que vai ser difícil. Ele parou e começou a pensar neste momento seu pai o chamou e pediu para ir buscar mais um saco de sementes.

Sr.Uthorin é um senhor que não possui mais cabelo devido à idade apenas um bigode no rosto já cansado de trabalhar, olha para Kelastus e diz: - Tenho um plano e preciso da sua ajuda e que guarde segredo o que me diz? Kelastus ficou surpreso e então deixo que o Sr. Uthorin fala-se. – Minha idéia e à seguinte ele trabalha aqui comigo até a hora do almoço e depois você o ensina a ler e escrever o que acha? E também o aniversário dele esta chegando gostaria de encomendar com seu pai um arco, uma aljava e 20 flechas, mas em segredo até o dia do aniversário dele e então posso contar com o melhor amigo do meu filho?

Kelastus não se aguentava de felicidade por saber que o pai de seu melhor amigo tinha tanta confiança nele. – Eu aceito, e ainda digo para meu pai dar umas aulas para ele!

Agora quem abriu um belo de um sorrio foi o pai de Tulon, neste momento Tulon chega com o saco de sementes e encontra seu pai e seu melhor amigo rindo: - O que é tão engraçado quero rir também.

E os dois começam a rir mais alto ainda, Sr. Uthorin toma fôlego e então diz: - Você conseguiu Tulon, agora vai ficar forte e saber ler e escrever, pois depois do almoço esta liberado para aprender a ler e escrever com Kelastus, você acha que agüenta está jornada dupla?

Tulon sorri: - Sim pai claro que aguento eu começo hoje?

Kelastus ficou surpreso com a determinação de seu amigo, mas também não recuou. – Claro se o Sr. Uthorin autorizar hoje mesmo você começa. E assim foi feito o pai de Tulon o liberou depois do almoço e este ficou em casa com Kelastus, ficavam até anoitecer estudando e se divertindo todos os dias, sempre no final da tarde Tulon ia levar Kelastus e voltava sozinho a região não era perigosa.

Após alguns dias nesta rotina chega o aniversário de Tulon, neste dia ele apenas trabalho, pois a noite sua mãe tinha preparado um porco e convidado à família de Kelastus para um jantar de comemoração. Tulon estava feliz, sua mãe tinha lhe feito uma roupa nova para ele usar em seu aniversário. A noite se aproximou rápido e a família de Kelastus chega, Kelastus entra correndo com um pacote na Mao e diz: - FELIZ ANIVERSARIO AMIGO!

Tulon não se apegava a presentes, correu e deu um abraço no amigo e disse: - Minha mãe preparou um porco para nos e sabe o que mais ela comprou uns doces não e um Máximo! KelastusTulon paralisou na hora fixou os olhos no pacote, pelo tamanho do pacote só podia ser uma coisa, então ele desembrulhou o presente: - Eu não acredito um Arco, com aljava e muitas flechas, que Khalmir me tire à vida agora se este não e o dia mais feliz da minha vida.

Os olhos de Tulon se encheu de lágrimas, agradeceu seu pai e não só a ele e a todos, vestiu se com a aljava e já estava a engatilhar o arco com uma flecha quando foi interrompido por Kelastus:- Amanhã começa suas aulas com meu pai, para aprender a ser um bom arqueiro, iremos estudar em casa e depois você tem aulas de arco e flecha. Acreditava que aquele era o dia mais feliz de sua vida. Depois de tudo comeram e beberam.

No outro dia, o pai de Kelastus Sr. Inthus começou a ensinar a arte de atirar com arco e flecha, após quase dois meses sem nada acontecer na cidade. O ALARME soa novamente, aquelas trombetas eram assustadoras porem necessárias, todos escutam porem Tulon estava na casa de Kelastus treinando, não tiveram notícias do que aconteceu, mas parece estar tudo bem após o treinamento o Sr. Inthus ia levar Tulon até sua casa, mas este disse não ser necessário, pois estava tudo bem apenas pegou uma tocha e foi para casa.

Fazia uma noite agradável onde à luz da lua cheia iluminava boa parte da trilha, Tulon esta com uma tocha só para garantir, Tulon escutou barulhos estranhos algo se mexendo no meio do mato ele resolve apressar o passo, porém não adiantou, pois quando acelerou o passo algo saltou do meio do mato impedido de continuar seu caminho, olhando para as figuras da sua frente percebeu que eram três Orcs. Todos eles vestiam colete e saiote de couro, o orc na sua frente estava com espada larga na mão direita e na mão esquerda uma espada curta, o da direita estava com um escudo e uma espada larga e o da esquerda estava com dois machadinhos.

Tulon se assusto com a aparição dos orcs ali, pois não tiveram notícias do que houve na muralha, se os três passaram os outros poderiam ter passado também, não podia pensar nisto, pois sua vida corria perigo, o orc com as duas espadas foi em sua direção, Tulon em puro reflexo deu um passo para traz e acabou tropeçando em uma pedra e caiu derrubando a tocha, podia ver bem os outros se aproximando, Tulon já não tinha mais esperanças quando uma sombra enorme surgiu atrás dele, a sombra tinha um par de chifres e um machado, voltou sua atenção para os orcs que olhavam para a sombra com raiva, o orc com os machados resolveu correr na direção da sombra pulou pisou na cabeça Tulon para pegar impulso e acertar a criatura, a criatura acertou o orc que foi arremessado longe de onde estava com uma machadada.

Foi ai que Tulon percebem que a sombra atrás dele estava contra os orcs, quando olhou para trás viu o Minotauro muito grande, ele estava com apenas uma sandália de gladiador e um saiote de couro (típica dos minotauros) sem camisa com seu machado na mão. O minotauro olhou para o garoto que estava caído no chão que também o olhava e disse: - Esta tudo bem menino? Fique atrás de mim.

Tulon estava com medo e fez o que o minotauro pedia, o minotauro foi para cima do orc com duas espadas, o orc tentou golpeá-lo sem sucesso o machado do minotauro tinha acertado a cabeça do orc primeiro que caiu com o crânio aberto e morto, o outro orc ficou atrás de seu escudo esperando o golpe do minotauro para depois contra atacá-lo, este foi o seu pior e ultimo erro, pois o minotauro foi para cima dele com tanta força que quando o machado do acertou o escudo quebrou e o acertou a cabeça do orc que caiu morto. O minotauro foi ate o menino: - Você teve sorte garoto esta hora era para você ser comida de orc. Qual seu nome?

O menino com medo responde: - Meu nome e Tulon, Senhor, e qual o seu?

- Eu sou Trasmor, o que fazia esta hora da noite sozinho na floresta? O Minotauro fala isto dando a mão para ele levantar.

- Estava indo para casa após meu treinamento com arco e flecha Senhor. Tulon se levanta e vê o arco em suas costas tinha quebrado quando ele caiu, ficou triste, pois foi com muito sacrifício que ele tinha ganhado aquele arco. Trasmor vendo a tristeza daquele garoto diz:

-Arco e flecha são para os fracos garoto se você tivesse uma arma de verdade teria dado conta facilmente destes caras aqui, pegue as coisas deste orc e fique com você deve ter dinheiro com eles também.

Tulon pegou tudo e aproveitou para pergunta: - Poderia me ensinar a usar uma arma?

O minotauro olha para o menino – Garoto eu ate poderia ajudar, mas não posso perder tempo aqui, faça o seguinte...
Contos 9175410452836374697

Postar um comentário

Página inicial item

Entre pra Guilda

Mais lidos da semana

Receba nossos corvos