rpgvale
1599924783602205
Loading...

#estreia Terror Japonês em "ATIVIDADE PARANORMAL - NOITE EM TÓQUIO"

Ao contrário do que acontece geralmente, desta vez os japoneses resolveram comprar uma idéia americana. Isso mesmo, depois dos americano...

Reply




Ao contrário do que acontece geralmente, desta vez os japoneses resolveram comprar uma idéia americana. Isso mesmo, depois dos americanos adaptaram filmes de terror japoneses para seu público, como em o Anel e O Grito, desta vez o diretor japonês Toshikazu Nagae fez o inverso com o filme Paranormal Activity: Noite em Tóquio.

Escrito e dirigido por Toshikazu Nagae, Paranormal Activity - Noite em Tóquio gira em torno de uma estudante japonesa que traz dos EUA, aparentemente, o mesmo demonio do filme original. Ao contrário do que pode parecer o filme não seria uma continuação do Paranormal Activity 2, pois o "Noite em Tóquio" foi produzido simultaneamente ao 2 americano, por isso, apesar de toda sua independência, se tivermos que dizer que existe alguma conexão entre o filme Americano e o Japonês pode-se dizer que este seria uma outra opção de continuidade para o Paranormal Activity 1. Meio estranho, não? rsrs


De inicio o trailer não foi muito bem comentado, apesar dos dois quartos aparentando medo em dose dupla! Mas a estréia aqui no Brasil rolou no último dia 25 de março, alguns dizem que decepcionou, outros já afirmam que deu para assustar, que a qualidade visual do filme ficou boa, que deu para desenvolver mais a história do que nos outros... Como eu ainda não vi estou na espectativa pois já assisti aos dois americanos, que até foram interessantes.

Paranormal Activity - Noite em Tóquio conta a história da estudante Haruka, que ao fazer intercâmbio em San Diego,  sofre um acidente que a deixa temporariamente numa cadeira de rodas, porém antes de voltar para Tóquio para se recuperar, a estudante acaba sendo possuida por uma presença sobrenatural. Em casa, com o pai em viagem de negócios, é deixada aos cuidados de seu irmão de 19 anos, Koichi. É aí que coisas estranhas começam a acontecer e o garoto resolve colocar as cameras em ação para descobrir o que está acontecendo.



O filme também promete deixar evidente três diferenças, primeiro a cultura japonesa que faz com que os personagens não sejam tão descrentes de que existe algo sobrenatural, como acontece com os céticos americanos, os japoneses não ignoram a possibilidade de que um demônio pode estar rondando por ali. Outra é quanto ao espaço em que a história e as estranhezas se desenvolvem, neste a casa grande de padrão americano é substituída por uma bem mais simples e pequena (apertada), o que pode ser bastante interessante de se ver. Por fim, o diretor  Toshikazu Nagae fez questão de escalar para protagonistas do filmes atores já conhecidos do público.
"... os personagens principais, Aoi Nakamura e Noriko Aoyama já são bem conhecidos, porque eles têm carreira artística. Eu pedi aos atores para não seguir o roteiro original e toda a conversa no filme era improvisada, apenas inspirada no texto. Acho que fizeram um grande trabalho."
Ou seja, é claramente um falso documentário, o que se opõem drásticamente ao que foi feito nos filmes americanos que colocaram em cena atores não conhecidos para dar uma sensação maior de realidade dos fatos. Será que esta diferença ajuda ou prejudica o filme na versão japonesa?
Aliás, versão não, fãs fazem questão de dizer que não se trata de uma versão.
"Novamente, isto não é um remake, nem uma versão japonesa da seqüencia americana, mas uma história independente, totalmente enraizada no mundo atividade paranormal. E esse tipo de coisa nunca foi feito antes, não posso pensar em um exemplo".


Outro destaque do filme é o fato da protagonista ser cadeirante, de acordo com o diretor Toshikazu Nagae a ideia surgiu da necessidade de manter a personagem em casa e "além disso, para criar o final chocante, a cadeira de rodas foi uma ferramenta importante".

Por falar em Toshikazu Nagae, ele é o produtor, roterista e diretor do filme, e disse que seu maior desafio foi escrever um roteiro que fugisse do padrão Hollywoodiano e assim criar uma identidade própria para o filme.
"Escrever o roteiro foi a parte mais difícil, porque os efeitos sonoros e a edição são as chaves para que as pessoas se assustem com o filme original. Mas a base de tudo foi o meu roteiro da série HOUSOUKINSHI."
Diferenças a parte, a sensação que fica é de que o filme pode até assustar ou empatar com os outros, porém não se sobressai significativamente... Mas ainda estou curiosa para assistir, e de preferência rodeada de muita pipoca, chocolate, guaraná e o namorado do lado para não me assustar tanto!rsrs
roteiro 532910791038979131

Postar um comentário

Página inicial item

Entre pra Guilda

Mais lidos da semana

Receba nossos corvos