Decisivo e Crítico #07 Como a tecnologia transformou os RPGistas


Até a década de 90 as evoluções científicas e tecnológicas eram enormes, mas não esperavam crescer na proporção que foi até os dias de hoje. As pessoas ainda ficavam fascinadas com Asimov, Mcluham e Tesla. A imaginação ainda era uma característica forte da sociedade, quando se falava de Sci-Fi. O RPG havia chegado ao Brasil e foi um verdadeiro prato cheio para garotos alucinados por descobertas, inclusive os sistemas promoviam isso. Os sistema que tinha maior afinidade com um eletrônico era o GURPS - seus jogadores eram simplesmente chamados de "filhos da calculadora" e realmente eram/são.
Até os anos 2000 as coisas mudaram sem parar. Tanto que ainda mudam. A geração clássica de RPGistas foi tomada por uma geração que nem sabe como é pesquisar em enciclopédias (ou na ENCARTA) antes de escreverem suas aventuras. Afinal ficou realmente mais fácil, tem tudo no Google ou na Wikipédia.
Os consoles de games - que antes limitavam a jogabilidade e ações dos personagens - se tornaram muito realistas e o estímulo visual se tornou um elemento predominante entre a garotada. 

Os livros e as revistas tem que suar muito para fazer frente a internet, que foi inclusive a mãe do MMORPG ou RPG Massivo Online.
Com o surgimento desses games ficou um pouco mais difícil encontrar um RPGista clássico, a gente anda por aí e pergunta: Você joga RPG? e houve : Claro, eu curto WOW, Rag e LineAge.
Não que isso seja ruim, afinal também é um jogo aonde existe uma construção de personagens e um sistema de regras testadas para validar as ações - no caso testadas pelo programa do game.
O problema é que vejo cada vez menos jogadores que conseguem distinguir os sistemas de RPG de mesa. Na maioria das vezes digo que já joguei D&D, Daemon, Gurps e algum outro e ouço: puts nem tenho idéia do que você está falando. Sinceramente o maior círculo de rpgistas clássicos que conheço está no meu msn e são outros blogueiros tentando evangelizar novos jogadores. Espero que esteja errado, mas isso me parece ser bem crítico.
Share on Google Plus

About Ale Santos

Storyteller, escritor de SCIFI,  Dark Fantasy e Designer de Narrativas para Board Games.  Um dos autores da Storytellers Brand'nFiction.  Editor do premiado blog RPG Vale, conhecido como @O_RPGista 
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 disqus:

Postar um comentário