rpgvale
1599924783602205
Loading...

Biblioteca do Aramil: Dragon Age RPG !

Saudações, desocupados! Hoje vamos falar de RPG de papel, savy? Como estamos na vibe do lançamento de Dragon Age II, vamos falar justamente...

Saudações, desocupados! Hoje vamos falar de RPG de papel, savy?

Como estamos na vibe do lançamento de Dragon Age II, vamos falar justamente disso... DRAGON AGE RPG!

Já se passaram muitos anos desde que a último Blight devastou as terras de Thedas. Muitos acreditam que isso nunca acontecerá novamente, que a Dragon Age passará sem que tal mal se erga das trevas. Mas eles estão errados. Além da terra, os darkspawn movimentam-se. Um novo Archdemon nasceu e junto com ele uma Blight que irá devastar as terras e escurecer os céus. As nações de Thedas precisam de uma nova geração de heróis, mas quem vai atender a tal chamado?




Ahhh... Dragon Age. Quem não se apaixonou por esse jogo? Dungeons, perigos, uma história com um roteiro bem trabalhado e gráfico muito bons se comparados a outros jogos do gênero. E, é claro, o fato de poder trabalhar com o relacionamento da equipe foi um marco decisivo pra esse jogo ser um sucesso! Sério. Quando você fica com pena de tirar um personagem de sua equipe pra colocar outro, ou quando você se importa com os sentimentos e não quer que determinado personagem sofra, você sabe que o jogo atingiu seu objetivo!

Mas vamos ao que interessa, certo? Dragon Age RPG!

Bom, quero começar lembrando todos vocês que a empresa por trás do RPG é a Green Ronin, uma empresa de pequeno/médio porte, ou seja, não é uma grande empresa que pode arcar com custos absurdos para publicidade e desenvolvimento do jogo. Então devemos esperar umas artes toscas e mal trabalhadas no conteúdo do livro, certo? ERRADO!

Como trabalho desenvolvendo jogos e escrevendo sobre eles, posso dizer com certeza que a aparência conta muito na qualidade e na venda de um rpg e, nesse quesito, Dragon Age RPG não fica para trás. Seus elementos são coloridos e bastante ricos e as imagens são belíssimas pelo simples motivo de que boa parte delas vem do Departamento de Arte Conceitual da Bioware.

A primeira a coisa a se notar sobre Dragon Age é o incrível valor de produção, o jogo vem em uma caixa, e inclui um livro dos jogadores, um livro do narrador, um mapa de Ferelden (o principal reino do cenário) e alguns dados coloridos. Fora isso, todos os elementos são de alta qualidade, coloridos e ricos de arte de excelente qualidade (mas vale notar que boa parte destas artes, vem do departamento de arte conceitual da Bioware, então isso é o mínimo). Mas.. e o resto?

Um ponto que eu considero no mínimo estranho é que o jogo Dragon Age é 18+, apresenta sangue e diversos tipos de sexualidade explorada, incluindo possíveis pseudo-cenas de sexo entre dois personagens do mesmo sexo! Maaaaaas.. o RPG é feito basicamente como se você fosse apresentar o hobby ao seu primo de 8 anos. Não me entendam mal, sou totalmente a favor de apresentar o hobby para novatos. Mas pegar um jogo que explora conteúdo adulto (e faz sucesso com isso) e transformar em um rpg de mesa para iniciantes com temática meio boba é, no mínimo, estranho, não?

"Mas e os livros, Thiago?" Calma, meu caro fétula, vamos falar deles agora!




Bom, confesso que aqui fiquei desapontado. O Livro do Jogador tem apenas 64 páginas, o que é muito pouco se compararmos aos outros produtos no mercado. Ora, gente, o Tormenta RPG vem com 300 páginas e não vou nem citar a quantidade de páginas que somam os Livros do Jogador do D&D.

Mas ok, vamos dar uma chance ao Dragon Age e analisar seu conteúdo. O que o livro traz de bom?

O Livro do Jogador, traz uma pequena introdução ao RPG e logo após fala um pouco do background de Thedas e a nação de Ferelden, o que é essencial pra galera conhecer o cenário. Depois temos um guia para a criação de personagens, suas regras para classes, talentos e magias e, por fim, as regras básicas do jogo.

O primeiro capítulo do livro é o responsável por apresentar o cenário ao jogador, mas você encontra mais informações na wiki e nos codex do jogo, o que pode ser meio broxante para quem é realmente viciado e espera encontrar coisas novas. O segundo capítulo fala da criação de personagens e da mecânica de jogo.

Aqui vemos a parte legal: o sistema é realmente simples e pode agradar muito aos iniciantes. Basicamente é assim: 3d6 + modificador de atributo da habilidade + foco ou especialização X dificuldade do teste. Simples, não? Existe também o chamado Dragon Die, que é um dado a parte que diz o quão bem você realizou a ação. Exemplo: você passou no teste para abrir uma fechadura, mas tirou 1 no Dragon Die, então, quer dizer que você abriu com pressa; caso tirasse 6 você teria feito com perfeição. Entenderam? Simples e divertido.

Lembra das origens que você podia escolher no jogo? Aqui você também pode! São elas: 
  • Apóstata (o mago independente e, obviamente, caçado);
  • Avvar (são os bárbaros de Ferelden);
  • Mago do Círculo (Torre de Magi, anyone?);
  • Elfo da cidade (os 'mendigos' da cidade, a classe social mais baixa);
  • Elfo Daleano (os elfos da floresta);
  • Cidadão de Ferelden (humano commoner, anyone?)
  • Anão da superfície (os anões que largaram as minas e são considerados traidores pela sua raça);
E.... é isso.

...

E PORQUE DIABOS NÃO TEM HUMANO NOBRE E ANÃO NOBRE? Não sei, mas aparentemente a Green Ronin teve preguiça e não quis adaptar uma das principais classes do jogo para o rpg. Malditos sejam!



Enfim, as classes são simples e legais pra quem tá começando agora. Temos guerreiro, ladino e mago, mas assim como no jogo todas são muito versáteis e podem construir personagens bastante diferentes. Com o tempo, é claro, podemos conhecer as subclasses, sendo a primeira apenas no nível 7.



O caítulo 3 tem a descrição dos chamados 'focos', que são as skills do jogo. O capítulo 4 tem armas e equipamentos e o capítulo 5 tem as magias. Fato legal é que as magias são as mesmas do jogo, o que pode animar alguns, maaaaaaas, o livro só apresenta quatro delas, o que eu acho broxante.

Por fim temos o capítulo 6 com as regras e.. bem... fim do livro.


Bom, então temos aqui um livro que custa uns 30 dólares (o mesmo preço do Player's Handbook de D&D) e vem com 64 páginas, regras básicas e artes bonitinhas? Ok, vou deixar vocês mesmos pensarem se vale a pena até aqui.



O Livro do Mestre!

Particularmente eu acho que o livro cumpre bem a sua função. Ele dá dicas de como narrar uma sessão, apresenta o sistema na visão do narrador e vem com regras adicionais para armadilhas, terrenos e tudo mais que o narrador pode precisar pra matar seus players. 

....


O que?  Vamos lá, narradores, eu sei que você ama matar seus players.

O que realmente chama a atenção nesse livro é o capítulo sobre os monstros. Sério, chega a ser ridículo. Estão vendo ali o Ogro na capa do livro? Pois é, o livro não fala sobre Ogros. Pois é.


Na verdade, não fala sobre nada e resumidamente vemos só dois tipos diferentes de Darkspawn. Ironicamente, Darkspawn são o centro das tramas de Dragon Age, então não sei direito como eles esperam que você jogue o jogo sem apresentar diferentes tipos de monstros. Até porque, se o livro é para iniciante, então eles deveriam fornecer bastante monstros uma vez que iniciantes não sabem criar seus próprios inimigos, certo? Teoricamente, deveria funcionar assim.

Por fim, temos umas 20 páginas que apresentam uma aventura pronta, coisa que eu acharia bastante legal. ACHARIA, no passado.

Bem, pensem comigo. O livro tem umas 65 páginas, sendo 20 páginas feitas para mostrar uma aventura pronta. Ok, então 1/3 do livro é a aventura pronta. Mas essa aventura você, teoricamente, só vai usar UMA VEZ NA VIDA, certo? Então 1/3 do Livro do Mestre é basicamente inútil. Sem mais perguntas, meritíssimo.



Mas e aí, vale a pena, tio?

Bom, no geral o Dragon Age RPG conta com excelentes imagens e uma qualidade gráfica invejável. Aqui no Brasil parece que ficou nas mãos da editora Jambô e eu não recebi cópia uma cópia, então não sei se a qualidade gráfica está igual. O sistema de Dragon Age RPG é divertido e fácil de aprender, sendo bem indicado pra inciantes e demais pessoas que queiram se aventurar no mundo do jogo.


Eu disse que o jogo vinha em uma box, certo? Pois é. Aparentemente cada box te leva adiante no jogo e esse primeiro vem com apenas os 5 níveis iniciais. Não vejo sentido em jogar um RPG que só posso chegar até o nível 5 e depois tenho que esperar que lancem a próxima box, etc etc etc. Não sei se aqui no Brasil a coisa muda de figura ou se a Green Ronin mudou de idéia, mas se continuou assim, acho que pode gerar problemas nas vendas.


Por fim, eu recomendaria o jogo para quem for fã de Dragon Age e quiser conferir esse rpg, aí sim! Ou se você é fã de rpg em geral e tem dinheiro pra gastar, também pode valer a pena. Se você é apenas um inciante procurando aprender ou se é um jogador hardcore que quer chegar no nível 21 e abrir logo todas as 3 subclasses, recomendo que espere o lançamentos de todas as box ou gaste seu dinheiro em outro jogo.


Como sou viciado e trabalho escrevendo sobre RPG, eu vou comprar o meu. E você?


Até a próxima, crianças! Cheers!
Sistemas 7565868906942843193

Postar um comentário

Página inicial item

Entre pra Guilda

Mais lidos da semana

Receba nossos corvos