rpgvale
1599924783602205
Loading...

Tesouros da Terra - Média Parte 6 (Final)

Bem galera chega o fim dos tesouros da terra - média e para fechar com chave de ouro: Os Anéis de Poder Três Anéis para os Reis-Elfos so...

Bem galera chega o fim dos tesouros da terra - média e para fechar com chave de ouro:

Os Anéis de Poder


Três Anéis para os Reis-Elfos sob este céu,
Sete para os Senhores-Anões em seus rochosos corredores,
Nove para Homens Mortais, fadados ao eterno sono,
Um para o Senhor do Escuro em seu escuro trono
Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam.
Um Anel para a todos governar, Um Anel para encontrá-los,
Um Anel para a todos trazer e na escuridão aprisioná-los
Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam.



Estes são os versos das antigas tradições élficas que falam sobre a criação dos Anéis de Poder. A sexta e a sétima linha foram reproduzidas no Um Anel usando o idioma de Mordor e a caligrafia élfica.
Eram 20 Anéis no total, criados na Segunda Era do mundo. Destes, 19 foram criados por uma sociedade de elfos em Eregion com a ajuda de Sauron, que os enganara usando um disfarce.
Estes artefatos foram feitos para presentear os Reis de cada raça da Terra-Média (Homens, Elfos e Anões). Sauron então deu início a segunda fase de seu plano forjando em segredo o Um Anel. Este anel mestre serviria para tomar o controle de todos os outros e dessa forma, de todas as raças da Terra-Média.
Os nove reis dos homens que receberam os anéis de poder foram facilmente seduzidos pelo poder do Um Anel, e se tornaram os Nazgûl, os mais terríveis servos do Senhor do Escuro. Dos sete anéis dados aos Senhores Anões, três foram recuperados por Sauron e os outros quatro foram consumidos pelos dragões. Os únicos que restaram foram os Três Anéis dos elfos que nunca foram tocados ou maculados por Sauron e que no momento em que se passa a história da Guerra do Anel, eles estão com Galadriel, Elrond e Gandalf.
Veja a seguir a história mais detalhada dos Anéis de Poder, desde sua criação até a destruição do Um Anel nas Fendas da Perdição, nas profundezas da Montanha Orodruin.

História dos Anéis de Poder

Após a derrota de Morgoth (Inimigo do Mundo), o antigo mestre de Sauron, na Guerra da Ira, ao término da Primeira Era, alguns dos Elfos noldor foram para Eregion, onde estabeleceram um reino duradouro e construíram a cidade chamada Ost-in-Edhil (Fortaleza dos Eldar), próxima ao portão oeste dos grandes palácios da cidade dos Anões, Khazad-dûm, mais tarde conhecida como Moria.
No ano de 1200 da Segunda Era, Sauron chega entre os Eldar (Povo das Estrelas), como eram chamados os Elfos e, usando o nome Annatar (Senhor dos Presentes), ele tenta persuadir os Elfos aos seus serviços. Gil-Galad (Estrela Radiante), o último rei dos noldor na Terra-média, se recusa a fazer acordo com ele. Mas uma sociedade de artífices em Eregion, chamada de Gwaith-i-Mírdain, (Povo dos Joalheiros) passa para o seu lado. Sauron, então, ensina-lhes conhecimentos secretos para a produção de anéis mágicos.
Aproximadamente trezentos anos depois, graças aos ensinamentos de Sauron, e aos seus próprios conhecimentos de artesãos, os ferreiros élficos de Eregion começam a forjar os chamados Grandes Anéis do Poder, depois de já terem criado muitos outros anéis mágicos de poder menor.
Pensando que preveniam ou diminuíam a decadência da passagem do tempo da terra que se alterava e que eles tanto amavam, foram levados a criar os Anéis de Poder, mas na verdade, estavam sendo enganados por Sauron cujo objetivo era dominar toda Terra-média.
Os Anéis não foram feitos como instrumentos de guerra; eles não podiam criar raios ou tempestades de pedra. Entretanto, eles conferiam poderes de acordo com os do seu usuário, ou seja, um Grande Anel nas mãos de uma pessoa fraca e pequena não poderia ter os mesmos efeitos como se estivesse com os sábios ou grandes. Os Anéis aumentavam os poderes naturais de seu possuidor.
Por volta do ano de 1590 da Segunda Era, os Três Anéis Élficos são concebidos e feitos pelo o maior dos artífices de Eregion, Celebrimbor (lê-se Quelebrimbor, na língua dos elfos, significa Mão de Prata), neto de Fëanor, que criou as Silmarils.
Os Três Anéis não conferiam invisibilidade, o estado em que o portador fica entre os planos material e espectral, pois este era um poder vindo de Sauron, e ele nunca os tocou.

Por um breve período, todos os Anéis de Poder foram utilizados em Eregion entre o tempo em que Sauron deixou os Elfos após a forjadura dos anéis (1590 SE) e quando Sauron forjou o Um Anel (1600 SE), mas logo que Sauron pôs o Um Anel, os Elfos retiraram seus anéis pois finalmente perceberam as maquinações de Sauron e entenderam que suas criações seriam apenas corrompidas e usadas para o mal.Alguns aconselharam a destruição dos anéis, mas os Elfos por eles mesmos não poderiam destruir os anéis - então os ocultaram. Os Sete e os Nove foram separados. Dos Três, Celebrimbor deu um, Nenya, para Galadriel, e os outros dois, Vilya e Narya, para Gil-galad. Por sua vez, Gil-galad manteve Vilya e deu Narya para Círdan dos Portos Cinzentos. Então, quando marchava para a guerra na Última Aliança, ele deu Vilya para Elrond. Uma alternativa para esta versão, dado no Unfinished Tales diz que durante o primeiro Conselho da Segunda Era, foi considerado sábio que Elrond recebesse o anel Vilya e Gil-galad mantivesse Narya, até a partida para a guerra na Última Aliança quando o deu a Círdan. Furioso que seu plano foi revelado e falhou, Sauron fez guerra aos Elfos para reinvidicar os Anéis pois sem sua ajuda eles não teriam sido feitos. As lendas falam que os Elfos Ferreiros fizeram ainda outros anéis menos poderosos quando sua arte ainda estava evoluindo. Eram ensaios e testes que serviam para refinar e aperfeiçoar essa arte... infelizmente nada mais é falado ou conhecido sobre esses anéis de menor poder. Os Elfos de Eregion fizeram todos os anéis, exceto o um Anel que foi feito pessoalmente por Sauron na Montanha da Perdição. Após a derrota de Morgoth na Primeira Era, alguns dos Elfos Noldor remanescentes foram para Eregion e construíram a cidade chamada Ost-in-Edhil por volta do ano 750 da Segunda Era, próxima ao portão oeste da cidade dos Anões, Moria. Por volta do ano 1200, Sauron veio entre os Elfos numa bela forma usando o nome Annatar (Senhor dos Presentes), mas com um plano negro para dominá-los. O maior desejo de Sauron era, como estava escrito em uma passagem da obra:
"... persuadir os Elfos a seus serviços, pois ele sabia que os Primogênitos têm um poder maior que o dos orcs..."
Ele ensinou-lhes conhecimentos secretos, e com seus conhecimentos de artesãos (uma guilda chamada de Gwaith-i-Mirdain, o Povo dos Fazedores de Jóias) criaram os Anéis de Poder entre os quais estão inclusos os Sete e os Nove. Mas Sauron tomou parte na criação desses anéis e guiou os Elfos em sua manufatura. Entretanto, os Três Anéis Élficos foram concebidos e feitos pelo Elfo-ferreiro, Celebrimbor, sozinho, e Sauron nunca tocou os Três. O Um Anel era parte do esquema de Sauron de escravizar e controlar os usuários de todos os anéis de poder e então controlar os Noldor da Terra-média. Sauron planejava a dominação de toda a Terra-média e ele precisava/desejava o controle sobre os Elfos para completar seu plano. Esta foi a razão da forjadura do Um Anel. Sauron foi para Orodruin, a Montanha da Perdição, para forjar o Anel Governante, e colocando nele uma grande parte de seu próprio poder ele criou um meio pelo qual ele poderia escravizar os usuários dos anéis.Ainda se fala que os Nazgûl usavam seus próprios Anéis, este é um ponto muito discutido. Alguns acreditam que os Nazgûl mantinham consigo seus anéis e eram escravizados e controlados por Sauron através deles.


 Muitos são os tesouros da terra-média cabe a você encontrar a todos.
LoTR 4076018919554445006

Postar um comentário

Página inicial item

Entre pra Guilda

Mais lidos da semana

Receba nossos corvos