Ser ou não ser ? A interpretação ao pé da letra.

A interpretação nas sessões de RPG são o lado mais divertido e engraçado do nosso jogo, mas as vezes fica irritante e extrapola o mundo da fantasia.
Acontece com muitos jogadores, primeiro ele se empolga nas aventuras e acaba se envolvendo de mais com a história. Certa vez um amigo meu se apaixonou por uma "amazona" a ponto de brigar com o grupo e resolver ir morar com ela na floresta - o problema foi a descoberta de que ela era uma traidora, o cara nem queria jogar mais.

Mas esses casos ainda são inofensivos, assim como @malmeidao que teve um  um personagem de D&D que era um barbaro / guerreiro / clerigo e após ele qualquer personagem na mesma linha parecia o mesmo.

O problema é aquele cara que não desgruda do personagem nem quando te encontra na rua. Esses sim são os perigosos, primeiro por que ninguém suporta e segundo por que acaba com a vida social de qualquer um ter um amigo assim.
É isso que disse, também, @Ka_Bral: Irrita quando o cara acha que é ator e age de forma excessivamente afetada com discursos insossos e forçosas palavras de efeito.


O que torna difícil de lidar com esses jogadores é, que, quanto mais você diz, mais ele fica "chato", palavras do @VictorCasimiro.
Por isso nunca se esqueça da regrinha básica de que tudo tem o seu limite, viva o personagem enquanto está no jogo e se divirta com os colegas. Enfm, seria um pouco de loucura se divertir apenas consigo mesmo.
Share on Google Plus

About Ale Santos

Storyteller, escritor de SCIFI,  Dark Fantasy e Designer de Narrativas para Board Games.  Um dos autores da Storytellers Brand'nFiction.  Editor do premiado blog RPG Vale, conhecido como @O_RPGista 
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 disqus:

Postar um comentário