Fazendo os jogadores trabalhar em equipe

Não é difícil acontecer de um ou outro jogador ter um turno maior do que o grupo em alguma sessão. Principalmente em cenas de batalha, quando os mais fracos ficam para trás.



Manter o entusiasmo dos players em situações assim não é tarefa fácil e requer muito jogo de cintura do narrador. A questão maior é fazer com que todos sejam necessários na aventura, para isso evite oponentes com pontos fracos específicos.

Também evite a simples e direta porrada, faça-os pensar, deixe o grupo em situações complexas e que não conseguirão resolver sem a interação de todos.
Você pode, por exemplo, colocar um campo de força na base inimiga que só falha por 5 segundos, tempo suficiente para apenas uma pessoa passar por ele. Assim alguém terá que faze-lo falhar enquanto outro entra para desligar por dentro.


É um exemplo bem comum, mas que pode ilustrar as várias situações que você pode criar, o problema é quando um ou dois do grupo são necessários e os outros cruzam os braços e deixam os dados de fora.
Trabalhe na aventura inteira essa integração, é legal quando o grupo interdepende, mesmo que de maneira forçada (nem tanto) como um favor que alguém deve a outro. Estimule ações em que os personagens possam cooperar para um bom resultado e faça com que isso seja rotina do seu grupo e então é só curtir a sessão.
Share on Google Plus

About Ale Santos

Storyteller, escritor de SCIFI,  Dark Fantasy e Designer de Narrativas para Board Games.  Um dos autores da Storytellers Brand'nFiction.  Editor do premiado blog RPG Vale, conhecido como @O_RPGista 
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 disqus:

Postar um comentário