rpgvale
1599924783602205
Loading...

O Campeão e o Tirano

"Este poema foi escrito por Por Leandro “Radrak” Reis, autor das Crônicas de Grinmelken . Muito bom e digno de ser compartilhado."...

"Este poema foi escrito por Por Leandro “Radrak” Reis, autor das Crônicas de Grinmelken. Muito bom e digno de ser compartilhado."

Venham todos, minha gente,
Ouvir uma história irradiante,
De um rei bem competente,
E seus amigos viajantes,
Cuja espada reluzente, Libertou toda essa gente, De um tirano horripilante.
Ouçam todos, minha gente,
Peço silêncio e atenção,
Sou Loriana, A Valente,
E lhes trago emoção.
No castelo de vosso soberano,
Lar da bondade, onde reina a justiça,
Já morou um tirano,
Mestre da crueldade, inveja e cobiça.
Na época em questão,
Na tirania e injustiça,
O povo clamava por proteção,
E eis que veio então, um Campeão da Justiça.
Unindo-se a viajantes o herói bolou um plano,
Invadir o castelo e derrubar o soberano,
Adentrando o covil, enfrentaram perigos diversos,
Alcançaram uma sala e encontraram livros em versos,
O Campeão se assustou quando nos livros descobriu,
O rei tirano era um poderoso mago vil,
Trancados no castelo, acovardaram-se a sua volta,
O herói respirou fundo e encheu-se de revolta,
Abandonou os companheiros covardes e subiu as escadarias,
Sem imaginar o perigo que o esperaria,
Os amigos do Campeão se encontraram encurralados,
E sem um líder para guiá-los foram derrotados.

Sem forças e humilhados foram todos aprisionados,
Levados ao calabouço, ainda muito atordoados,
A esperança dos covardes subia agora a torre Norte,
Que o levaria sem dó, nem piedade para a sala da morte,
O mago no entanto,
Antecipou o seu encanto,
E para enganar o herói, preparou uma ilusão,
O paladino ao entrar como um ladino, perdeu sua atenção, E eis que viu então:
A sua frente, onipotente, ergueu-se imprudente,
A imagem resplandecente de sua deusa onipresente.
Ajoelhou-se então, implorando o seu perdão,
Perguntando-se porque sua deusa intercedeste,
No ato de justiça, que em sua alma pretendes-te.
O mago sorriu então, vendo seu plano vitorioso,
E preparou tua lamina para matar o fervoroso,
Ao colocar-se atrás do servo leal, o mago se preparou,
Mas o terror fez-se em seu rosto real,
Quando o forte brilho ele notou.
O martelo de guerra na cintura do herói então brilhou,
E este ao conhecer bem sua deusa, neste momento se libertou,
Confrontado-se com o mago, o Campeão o derrotou,
Não restando outra escolha, a morte, o mago encontrou.
Libertando seus amigos, a lâmina da espada ele mostrou,
E o ocorrido com seu martelo, o herói ocultou,
Conhecendo bem a deusa e a religião que optou.
Muito bem sabia, que sua senhora o salvou.
O que lhe aconteceu não é preciso lhes contar,
Pois qualquer pessoa que passou pelo reino,
Conhece o modo do Campeão reinar.
Agradeço a todos, por minha história apreciar,
Ao do mesmo modo que aprecia o vinho, também deves me pagar,
Apenas três peças de prata, para meu luxo sustentar,
Dinheiro para comprar papel e tinta,
Escrever minhas histórias e lhes contar.
Rpg 3175645131893545956

Postar um comentário

Página inicial item

Entre pra Guilda

Mais lidos da semana

Receba nossos corvos